Millefiori

produção millefiores

Millefioris são pequenos cilindros de vidro com diversos desenhos e cores, imitando flores. De acordo com a Wikipedia, se refere a junção das palavras italizadas “mille” (milha) and “fiori” (flor).

É uma técnica de mosaico, que fisa formar flores com pedaços de vidro, relacionada aos artesãos de Murano(Italia).

São cortados em pequenos pedaços e levados ao forno, sendo necessária perícia no controle do tempo e temperatura para evitar que a fusão do vidro danifique as figuras.

Este vídeo explica a produção:

Exporte sua arte

exporta Facil

 

Exportar é mais simples do que podemos imaginar a princípio. Com a popularização da internet e os mecanismos simplificados criados pelo Governo, qualquer pessoa pode vender e enviar produtos ao exterior.

Pagamento

Existem diversas forma de receber pagamentos do exterior, destacamos:

  • PayPal – seu cliente efetua o pagamento através de Cartão de Crédito, a transação é confirmada em alguns minutos e já é possível enviar a encomenda. O PayPal oferece proteção contra fraudes, reduzindo o risco de ser enganado.
  • Vale Internacional Eletrônico – Serviço dos Correios para envio e recebimento de dinheiro. Demora cerca de uma semana para receber e não cobra tarifa de saque do valor;
  • Wester Union – Serviço internacional de transferência eletrônica, os valores ficam disponíveis minutos após o pagamento. Há alguns anos não utilizo esse serviço, mas é importante checar no Banco no qual você receberá o dinheiro sobre a possibilidade de receber através de CNPJ, pois o Banco do Brasil costuma restringir o pagamento somente para CPF, ou seja, pessoa física.

Envio

É possível enviar o produto através dos Correios, que possuem um serviço simplificado para o envio dos produtos, o Exporta Fácil. Há três documentos que você precisa emitir para acompanhar a caixa:

  • AWB – Formulário de postagem disponível no site ou agência dos Correios, nele serão informados os dados do vendedor, comprador e declaração do conteúdo (produtos enviados);
  • Commercial Invoice – Fatura do produto, o modelo está disponível no site dos Correios;
  • Nota Fiscal – Necessária para a fiscalização da Receita Federal.

Cuidados

Antes de negociar a exportação do seu produto, verifique se o país de destino permite o ingresso, pois cada pais elabora uma lista de produtos que não podem ingressar, a lista está disponível no site dos Correios.

Os Correios disponibilizam 04 opções de envio, o preço aumenta conforme o prazo de entrega. Cada modalidade possui suas próprias regras de peso e volume máximos permitidos, informe-se ao calcular o valor do frete ao comprador.

Mais informações

O Ministério do Desenvolvimento disponibiliza um site dedicado a ensinar a exportar artesanato, focado nas cooperativas e exportação em atacado.

O site do Exporta Fácil (Correios) detalha todos os serviços internacionais da empresa e disponibiliza as ferramentas que auxiliarão a efetuar o envio.

Artesanato em números

feira

Em 2006 a Mega Artesanal promoveu uma palestra com o Joelmir Beting para inaugurar aquela edição da Feira. Tive a oportunidade de acompanhar e me surpreendeu a quantidade de dados sobre o mercado de artesanato que o brilhante jornalista possuía.

Não me recordo os números que ele apresentou na época, mas o IBGE estima que 8,5 milhões de pessoas participam desse mercado, movimentado R$ 50 bilhões.

O desafio é aumentar a nossa fatia desse bolo. Neste ano escrevemos sobre a necessidade de inovar, criar produtos novos, diferenciados e focar no seu consumidor.

As feirinhas de artesanato estão cada vez mais iguais, o público busca novidades, regionalismos, personalização, se você ainda está restrita aos modelos das revistas, a papéis impressos, aproveite o fim do ano para planejar um 2015 diferente. Estaremos juntos!

Referência

  1. Foto:fEirA artEsAnAtO de fAmAlicÃo (Vânia Kosta / flickr)
  2. Estadão PME: Artesanato já movimenta R$ 50 bilhões por ano no Brasil e envolve 8,5 milhões de pessoas

Nina Pandolfo e as meninas

Entao Ela Se Fez Bonita
Entao Ela Se Fez Bonita (Nina Pandolfo)

As vezes nós conhecemos a obra e só depois descobrimos o artista responsável, assim conheci a Nina Pandolfo, primeiro as obras, depois a artista.

No ano passado São Paulo recebeu a exposição Serendipidade, o Serginho Grisman exibiu no Altas Horas sua reportagem com a Nina e a exposição.

É interessante que a Nina busca fugir de rótulos, afinal, qual a diferença se ela é grafiteira ou artista plástica? O que realmente importa é a qualidade do material produzido, o desenho, a composição de cores.

No You Tube está disponível uma entrevista da Nina contando toda sua história, influências e o mercado da arte (parte">parte" />1, parte 2, parte 3):


No site da Nina é possível conhecer diversas obras da Artista.

Artesanato local

Aeroporto Pampulha

A cada ano aumenta o número de turistas no Brasil, tanto brasileiros como estrangeiros. Você já deve ter notado esse aumento na sua cidade. Notou? E o que fez a respeito?

Nas minhas viagens busco artistas de rua, feiras de artesanato, lojas de lembranças e sinto falta de uma lembrança daquela cidade, museu, parque. Quando existe, normalmente é um objeto no qual poderia substituir o nome pelo o de qualquer outro local.

Há alguns anos desenvolvemos uma pesquisa para elaborar um produto que representasse nossa sede em Jarinu – SP.

O trabalho é pesado, passa pelas atrações turísticas do município, atividade econômica, significado do nome e cores da cidade.

Depois, temos que pensar no suporte, será uma camiseta, imã de geladeira, caixa, cerâmica?

Você desenvolve a arte regional? já a pesquisou? O que você fez que é a cara da sua cidade?

A era de assistir um passo-a-passo na TV, reproduzi-lo fielmente e viver da mesma peça pasteurizada e desalmada já ficou no passado, se é que tivemos uma época assim. É necessário produzir algo diferente, aquela peça que seu cliente irá guardar pelo resto da vida.

Eu tenho algumas peças que comprei em viagens, algumas nem tem o nome da cidade, mas são únicas. As suas são?

Referência

  1. Foto: Aeroporto Pampulha (rmpinho / morgueFile)

 

A geometria de Beatriz Milhazes

Beatriz Milhazes - o mágico

Em busca de inspiração para seus trabalhos?

Muitos artesãos se limitam ao que já está pronto, como papéis e guardanapos. É necessário se diferenciar e a arte pode ser uma excelente forma de inspiração, no ano passado falamos da Adriana Varejão.

Hoje o destaque é Beatriz Milhazes, uma das principais artistas contemporâneas do Brasil

Em 2013 a Beatriz concedeu uma interessante entrevista para o programa Starte da Globo News, destaco o trecho no qual ela mostra seu meticuloso processo de criação.

Os quadros que conheço da Beatriz são precisos, a geometria sempre está presente aliada à uma inesquecível combinação de cores.

A Leíse Paim escreveu sobre a experiência de ter Beatriz Milhazes como professora, com novos detalhes sobre a composição dos trabalhos, destacando a pintura em camadas.

Esse contato com novas técnicas e ideias é fundamental para aprimorar nosso trabalho.

Exposição

Até o próximo dia 23/02/2014 a exposição Meu Bem, que reúne as principais obras da artista estará em Curitiba, no Museu Oscar Niemeyer.

Maias

Mayas

Está em exposição na cidade de São Paulo a maior mostra de arte e arqueologia dos Maias. Trata-se de uma iniciativa do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México, primeiro local de exibição. 

Após uma introdução sobre a civilização Maia, o visitante chegará à oito espaços temáticos, variando da vida cotidiana ao sagrado. Entre os objetos expostos estarão artefatos e utensílios que conseguiram transcender a pilhagem, a destruição de sua cultura na conquista espanhola. 

A Laura Ming, da Veja, lembra que os objetos, apesar da beleza, não foram pensados artisticamente: impressiona pela abrangência e pelos detalhes das obras. Nada do que está ali foi produzido pensando em valores artísticos. Os prisioneiros esculpidos em pedra tinham o objetivo de exibir a força do governante que venceu a batalha. Objetos de jade, belíssimos, eram postos junto aos mortos para servir como moeda de troca na próxima vida. Para entender o significado dos desenhos, é preciso abrir mão do olhar literal e procurar pelos símbolos.

A entrada é gratuita, o local de exposição é a Oca, no Parque do Ibirapuera. Para quem não conhece, a arquitetura da Oca já vale o passeio.

Do Brasil a mostra seguirá para a Europa.

Mayas_expo

Referência

Evento: “Mayas: revelação de um tempo sem fim”
Período expositivo: de 10 de junho a 24 de agosto de 2014

Local: Museu da Cidade – OCA
Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 3
Parque Ibirapuera / São Paulo – SP
Telefone: +55 11 3241-1081
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 9 às 18 horas
Entrada gratuita e livre